Martinica: Conheça esse paraíso caribenho das páginas de Truman Capote




A Martinica ficou conhecida mundialmente por causa de uma tragédia vulcânica. Foi o suficiente para que esse paraíso francês fosse descoberto. Conhecida popularmente como a Ilha das Flores, o território é cheio de praias deslumbrantes, banhadas pelo Mar do Caribe. A ínsula compartilha uma particularidade com o Brasil: o carnaval, chamado de Mardi Gras. A festividade acontece sempre entre os dias 25 de fevereiro até 1º de março.
Eu conheci essa região do planeta através de uma crônica do escritor estadunidense Truman Capote. Em seu livro, Música para camaleões, o autor relata sua estadia na casa de uma aristocrata que vivia em Fort-de-France. Ela possuia alguns camaleões e, segundo ela, além de suas peculiares mudanças de cor de pele, eles também são grandes apreciadores de música. Quando a mulher sentava ao piano, os animais se aglomeravam nas proximidades da sala, atraídos pelo som. Confira agora um pequeno guia de lugares que você precisa conhecer nesse território de mar esmeralda.

Saint Pierre




Quem caminha pelas ruas de Saint-Pierre não consegue imaginar que essa cidade é uma sobrevivente. O vulcão Monte Pelée, a montanha que chama atenção dos transeuntes no horizonte da região, explodiu em 1902. A erupção foi considerada um dos maiores cataclismas vulcânicos da história. A então capital, conhecida como a Paris do Caribe, abrigava cerca de 28.000 moradores e estava recebendo muitos visitantes de outras regiões da ilha para o feriado de Ascenção de Jesus. Apenas duas pessoas sobreviveram em toda a cidade: um prisioneiro da cadeia local e um morador de um bairro periférico. Isso trouxe modificações severas para Saint-Pierre. Fort-de-France passou a ser a nova sede do território e hoje o município, que precisou ser totalmente reconstruida, possui cerca de 5.000 habitantes.






Sul da ilha


A região mais popular da Martinica é a parte sul da ilha. É onde ficam as praias mais belas. São Pointe Du Bout, Ansel Mitan, Anse à L'Ane, Le Diamant, Sainte- Luce e Sainte-Anne.
Pointe Du Bout fica há 31 quilômetros da capital. É uma região de muitos atrativos naturais. Não é uma praia muito grande, mas abriga hotéis e resorts. Nessa região também fica a cidade de Trois Illets, a qual possui muitas residências construídas no estilo crioulo e que são a atração do centro da localidade.





Anse Mitan é uma praia pequena também localizada ao sul. Ela é bastante conhecida e procurada pelos turistas.



l’anse à l’âne


A praia é conhecida pelo seu entardecer deslumbrante e por sua gastronomia.




Le Diamant



É uma praia conhecida por causa de um grande rochedo que fica no meio do oceano e que tem o formato de um diamante. Aqui as correntes do mar costumam ser um pouco mais agressivas. Por isso é preciso de um pouco de cuidado para explorar a região. É um lugar muito frequentado por famílias, pois possui uma área com mesas de piquenique.

Memorial Anse Cafard


“O senhor parece ser um viajante. Por que nunca tinha vindo para cá?”
“À Martinica? Bem, eu tinha certa relutância. Um grande amigo meu foi assassinado aqui.”
Os lindos olhos de Madame se mostram uma fração menos amigáveis do que antes. E ela faz
um pronunciamento pausado: “O homicídio é uma ocorrência rara aqui. Não somos um povo
violento. Somos sérios, mas não violentos”.
“Sérios. Sim. As pessoas nos restaurantes, nas ruas, até mesmo nas praias têm expressões muito
severas. Parecem bastante preocupadas. Como os russos.”
“Precisamos ter em mente que aqui a escravidão só acabou em 1848.” (Trecho do livro Música para Camaleões de Truman Capote)



Outro lugar que merece ser visitado nas cercanias da praia de Le Diamant é o Memorial da escravidão Anse Cafard. Assim como no Brasil, o escravagismo é uma mancha na história da ilha francesa. Esse monumento foi erguido em 1998 a fim de comemorar (e recordar) os 150 anos da abolição da escravatura nos territórios francafónos das Índias Ocidentais.  Foi concebido pelo artista local Laurent Vàlere. 

Sainte-Luce


A comuna possui várias praias muito bonitas, como a Anse Mabouya, Anse Corps de Garde. Mas a minha favorita, sem dúvidas, chama-se Désert. São 600 metros de areia branca e mar turquesa. Parece muito com os cenários da ilha do seriado estadunidense Lost.



Sainte-Anne


 A região de Sainte-Anne é abençoada com belezas naturais de tirar o fôlego. Aqui fica a Plage de Salines, conhecida por ser um cartão-postal da Martinica.


Fort-De-France

 



Depois de sair da parte sul e de suas badaladas praias, é hora de conhecer a capital da Martinica. Repleta de prédios históricos, a cidade é uma das maiores do Caribe. Têm como atrações a baía da cidade, igrejas históricas e o Forte Saint Louis.






Ficou curiosa (o) para conhecer a ilha francesa? Pra visitar,  é preciso de visto. As especificações para o pedido você encontra nesse link do consulado francês no Brasil.

Não existem voos diretos do Brasil. Uma opção é viajar com a AirFrance, fazendo uma escala em Paris ou tentar algum voo em Caiena, na Guiana Francesa. A Azul opera voos para lá.

Nenhum comentário