The Sadness (2021)



 


Assisti ao longa-metragem taiwanês The Sadness (2021), dirigido pelo cineasta canadense Rob Jabbaz. A produção tem sido considerada como o "filme mais violento de zumbis da história do cinema". A premissa básica do roteiro é a seguinte: um vírus provoca uma epidemia e os contaminados transformam-se em mortos-vivos. Inicialmente, sentem uma profunda tristeza, seguida por uma explosão de violência e hipersexualidade. Os ataques provocados pela horda descontrolada são de fato brutais. Ao contrário de outras produções do subgênero, os zumbis não perdem sua consciência completamente. Estão apenas dominados por um desejo incontrolável de matar e fornicar. 
 

[Dorama] - Strangers from Hell (2019)

 



Strangers from Hell (2019) está saindo da Netflix Brasil no dia 14 de maio. Por essa razão, resolvi falar um pouco sobre ele por aqui.


Baseado em um webtoon (uma espécie de quadrinho digital mais compacto do que uma história normal), o seriado acompanha Yoon Jong-woo (Im Si-wan), um aspirante a escritor. Ele arruma um emprego em Seul e precisa encontrar um lugar para morar. Por causa do dinheiro curto, Jong-woo acaba indo parar em uma pensão sinistra, cheia de moradores estranhos, como o dentista Seo Moon-jo (Lee Dong-wook). Vários acontecimentos sinistros começam a acontecer, mostrando ao protagonista que foi uma péssima ideia se hospedar naquele lugar. São 16 episódios recheados por uma ambientação sufocante e uma fotografia bem agressiva. O espectador acaba inevitavelmente sentindo o mesmo desconforto vivenciado por Jung-woo.

[Dorama] The Guest (2018)




 



Produzir um produto de horror de um subgênero que já foi explorado exaustivamente é um grande desafio. Principalmente quando estamos falando sobre filmes e séries sobre exorcismo. A grande verdade é que William Friedkin produziu um filme definitivo sobre o assunto em 1973. Outros longas apareceram no encalço de O Exorcista. Alguns até possuem certas peculiaridades interessantes, mas vamos ser sinceros?  A maioria costuma ser apenas uma imitação equivocada do trabalho de Friedkin. Por essa razão, quando resolvi assistir o dorama sul-coreano The Guest (2018), o fiz sem grandes expectativas, esperando apenas um pouco de entretenimento. 


Só que eu fui surpreendida positivamente pela história.  The Guest é bastante singular ao oferecer uma  mixagem do folclore da Coreia do Sul com elementos mais tradicionais, os quais são adaptados ao contexto regional. Outro ponto muito positivo é o personagem diabólico central, Park Il-Do. Ele é atípico e assustador.
 

Kim Ji-young: Born 1982 (2019)

 

A maioria dos países asiáticos têm uma premissa de que os seus habitantes são uma espécie de super-heróis inquebráveis, que devem sempre seguir todos os dogmas sociais de forma resiliente. As falhas não são vistas com bons olhos. Além disso, os cidadãos devem buscar desesperadamente pelo sucesso profissional. Obviamente, todas essas exigências comprometem a saúde mental de muitas pessoas. É uma vida preenchida por muita pressão. Você precisa ser o melhor na escola, da faculdade, no casamento... 

Under the Open Sky (2020)

 


Under the Open Sky (2020), dirigido por Miwa Nishikawa, é uma viagem delicada pelo universo de Mikami (Kōji Yakusho), um ex-membro da Yakuza. Depois de cumprir 13 anos de prisão, ele precisa encontrar maneiras de se adaptar ao novo contexto, enfrentando todo o estigma gerado pelo seu passado. Determinado a não retornar para o crime, Mikami busca desesperadamente por uma oportunidade de recomeço, mesmo que seu temperamento difícil seja um empecilho constante. Diante de tantas dificuldades diárias, o personagem vive uma jornada oscilante, onde a sociedade japonesa é a sua “pior inimiga”. 


Com o longa-metragem, Nishikawa oferece uma reflexão muito importante sobre a ressocialização de ex-condenados no Japão. Mesmo depois de cumprir suas penas, graças ao conservadorismo do país, essas pessoas encontram muitas barreiras ao tentar mudar de vida. A única saída é retornar para o crime. Em um mundo onde o positivismo tóxico afirma que todos deveriam ter uma segunda chance, a cineasta mostra que, na prática, isso não acontece. Somente algumas pessoas possuem o direito de errar e recomeçar.  

Formulário p/ pagina de contato (Não remover)