Os rip-offs da franquia A Hora do Pesadelo





O longa A Hora do Pesadelo (A Nightmare On Elm Street) completou 39 anos esse ano. Como já falei do longa por aqui, resolvi comemorar o aniversário da película de uma forma diferente. Decidi assistir alguns filmes que são considerados rip-offs da franquia A Hora do Pesadelo. Consegui reunir 73 exemplares que são considerados cópias da história do Freddy e dividirei com você as minhas impressões sobre as obras.

Slumber Party Massacre II (1987) — Direção:  Deborah Brock

Particularmente, gosto muito do primeiro filme. Ele é um verdadeiro cult do cinema de horror e é um slasher típico, sem nenhum elemento sobrenatural. Quanto ao segundo longa, acho que podemos dizer que o plot da película é muito inspirado no Freddy Krueger em relação ao lado onírico. A protagonista tem sonhos com um roqueiro assassino. Inclusive, o final dúbio lembra muito a estrutura do desfecho do filme A Hora do Pesadelo. Outro ponto sobre o assassino que tem relação com o Freddy Krueger: ele se adapta ao universo que suas vítimas estão inseridas como o vilão da Rua Elm. A criatura se transforma em um roqueiro ao perseguir o grupo de meninas que possuem uma banda
De modo geral, não gostei de Slumber Party Massacre II (1987). Achei o roteiro extremamente constrangedor. As atuações também são terríveis. 





Don't Panic (Dimensiones Ocultas/1987) — Direção: Ruben Galindo Jr

O México produziu dois rip-offs de A Hora do Pesadelo. Esse é o primeiro exemplar e é dirigido por Ruben Galindo Jr. A história gira em torno de um grupo de jovens que resolve brincar com um tabuleiro de Ouija durante uma festa de aniversário. Um deles é possuído por um espírito e passa a perseguir todos os participantes da brincadeira. Ele precisa ser impedido por Michael (John Michael Bischof). O garoto passa a ter visões premonitórias dos assassinatos.
De todos os filmes que assisti, Don't Panic se encontra na minha lista de favoritos. Apesar de claramente ser influenciado pelo universo de Krueger, ele é um filme bem original. Possui uma montagem dinâmica e tem um roteiro divertido. Eu amo o fato de que o personagem principal é um adolescente que está quase na faculdade, mas veste um pijama infantil para dormir. Falando um pouco sobre o vilão do filme, ele possui uma maquiagem que é uma reprodução quase absoluta do rosto do Freddy Krueger. É muito parecido.





Bad Dreams (1988) — Direção: Andrew Fleming

O longa gira em torno de uma seita religiosa. O líder do grupo resolve cometer suicídio em massa e coloca fogo na casa onde os membros do culto vivem. Apenas uma jovem consegue sobreviver. Cynthia (Jennifer Rubin) é enviada para um hospital psiquiátrico e passa a ser assombrada por visões do líder. Em uma cena em particular, ele aparece totalmente queimado. O longa tem um plot muito semelhante ao longa A Hora do Pesadelo 3 (1987), o qual é também é estrelado por Jennifer Rubin. Ela gravou dois filmes em sequência com o mesmo argumento. Apesar das grandes similaridades, acho Bad Dreams um filme interessante.




Kadaicha (1988) — Direção: James Bogle

Também conhecido como Stones of Death, Kadaicha é um longa de horror australiano. Um grupo de estudantes começa a sonhar com um aborígene que entrega para eles uma espécie de cristal. Quem recebe a pedra acaba morrendo. Opinião sincera sobre o longa: além de ser ruim de modo geral, é apenas mais um conto colonialista colocando os aborígenes como criaturas monstruosas. 




Night Killer (Non aprite quella porta 3/1990) — Direção: Bruno Mattei e Carlos Fragoso

A descrição do filme é bem peculiar: "Um assassino com uma máscara de Freddy Krueger aterroriza a cidade de Virginia Beach". Mas como o dois cineastas italianos não tinham os direitos de imagem do serial killer da Rua Elm, a máscara e a luva do personagem lembram muito pouco o antagonista da franquia A Hora do Pesadelo. Eles miraram no Freddy e acertaram o Vingador Tóxico. Quanto ao filme, ele é uma espécie de horror erótico, algo que era bem comum entre as décadas de 70 e 90 na Europa. Não quero parecer moralista, e inclusive estou acostumada com o conteúdo sexual dos filmes de horror, mas a história que permeia o longa é de um mau gosto terrível. 



Dream Stalker (1991) — Direção: Christopher Mills 

Dream Stalker é um filme muito amador, realizado de forma independente. O longa conta a história de Brittany (Valerie Williams), uma modelo que namora um piloto de motocross. Ele morre em um acidente durante uma corrida e passa a persegui-la nos sonhos. Inclusive, ele a violenta sexualmente no ambiente onírico. Sim, ele é um rip-off evidente de A Hora do Pesadelo. A caracterização do antagonista e o roteiro caminham na direção do universo de Freddy. Por mais que eu tenha dado uma nota muito baixa para ele no Letterboxd pois sua execução é muito ruim, creio que o filme seria promissor em um grande estúdio, com um bom orçamento.




Mahakaal (1994) — Direção: Irmãos Ramsey

Já falei desse filme aqui no blog. Mantenho a minha opinião. O filme é um grande delírio maravilhoso, embalado por números musicais de Bollywood. Amei essa versão indiana do Freddy. O personagem ganhou um elemento que representa muito bem os anos 8090: um corte mullet. A final girl do filme é uma atriz brilhante. Ela é muito expressiva. Faz justiça ao legado que começou com Heather Langenkamp.






Neon Maniacs (1986) — Direção: Joseph Mangine

Tirando o fato de que a personagem principal do longa tem um pesadelo, e um dos personagens se parece um pouco com o Freddy, acho complicado afirmar que esse filme seja um rip-off de A Hora do Pesadelo. Wes Craven não foi o primeiro diretor a explorar o onírico no cinema.





Os três filmes da franquia It

O diretor Quentin Tarantino afirmou em uma entrevista que Stephen King copiou A Hora do Pesadelo ao escrever a história de Pennywise. Alguns fãs de horror apontam que existem certas semelhanças narrativas entre o longa de Wes Craven e o primeiro It (1990), mas honestamente não consigo acreditar em nenhum desses pontos de vista. Os elementos do horror se repetem e é natural que alguns longas tenham similaridades. Basta refletir um pouco sobre a construção do filme e dos personagens para perceber que estamos falando de duas películas completamente diferentes. 






The Fear (1995) — Direção: Vincent Robert

Um estudante reúne um grupo de pessoas para fazer uma terapia para explorar seus medos e eles começam a ser perseguidos por uma espécie de manequim. Apenas quem consegue superar aquilo que teme consegue fugir da morte. Creio que esse filme seja colocado como um spin-off, pois ele reproduz a ideia do final de A Hora do Pesadelo. Inclusive, Wes Craven fez uma ponta no elenco desse filme caótico. Sério. É uma das piores coisas que já assisti na vida.





Sleepstalker (1995) — Direção: Turi Meyer

Um serial killer conhecido como The Sandman mata um casal e é condenado à morte. Ele recebe a visita de um padre falso, o qual faz um ritual de vudu, o qual permite que o assassino se torne um monstro de areia após a morte. Eu acho que esse filme foi incluído na lista, pois Krueger também se torna extremamente poderoso após a morte depois de fazer um pacto com demônios. Eu gostei do filme. Já havia visto ele antigamente. Não tem nada de espetacular, mas é um bom entretenimento.






Trilogia Wishmaster

Os filmes falam sobre o Djinn, que é uma lenda bem conhecida no Oriente Médio. É o famoso gênio, o qual também aparece em Aladdin. No filme, ele é mostrado como uma criatura diabólica, mesmo que na lenda original ele não seja uma figura maligna, nem tampouco benigna. Apesar da participação de Robert Englund no filme, não vejo uma razão para existir qualquer comparação entre os dois filmes.





Hello Mary Lou: Prom Night II — Direção: Bruce Pittman (1987)

Mary Lou (Lisa Schrage) é uma jovem à frente do seu tempo. Ela explora a sua sexualidade em um período de conservadorismo. No baile de formatura, seu então namorado a vê beijando outro rapaz. Inconformado, ele coloca fogo na adolescente quando ela está recebendo a faixa de rainha do baile. Anos mais tarde, o algoz de Mary Lou, que não recebeu nenhum tipo de punição, se torna diretor da escola onde acontecera o assassinato. Obviamente, o fantasma de Mary Lou retorna para se vingar.
Quando assisti esse filme pela primeira vez, fiquei muito chocada com a ambientação do filme. Ele é totalmente um filho "perdido" da franquia A Hora do Pesadelo. Mary Lou segue os passos de Freddy. Ambos morreram queimados e buscam por vingança.  Só que, apesar de ser colocada como o monstro do filme, Mary Lou é a grande vítima da história. Sua morte é misoginia pura. 





The Phantom of Opera (1989)

Conhecido como "Freddy da Ópera", o filme é uma lição de como monetizar com outra franquia sem ter os direitos cinematográficos de um personagem. A malandragem foi tanta que chamaram Kevin Yagher, responsável pela maquiagem de Krueger no segundo filme, para o longa. O resultado não poderia ser outro. Robert Englund ficou igualzinho ao personagem da Rua Elm. Apesar dos pesares, eu adoro esse filme.




Terrifier 2 (2023)

Algumas pessoas acham que a sequência de sonho que ocorre no filme é inspirada pelo A Hora do Pesadelo, mas não acho que tenha ligação com o universo de Freddy. Eu só acho que o Art tem uma certa semelhança com o Freddy na ironia. Ambos tem essa dualidade entre o humor e o mais completo terror. Eu acho que acontece essa confusão, pois a franquia Terrifier recupera a aura do horror dos anos 80. Pode até rolar uma inspiração, mas não acho que estamos falando de um spin-off da franquia A Hora do Pesadelo.




Dreamscape (1984) — Direção: Joseph Ruben

A história por trás desse filme é cabulosa. Wes Craven tentou por anos emplacar o roteiro de A Hora do Pesadelo. Ou seja, ele distribuiu seu roteiro em muitos estúdios. Quando finalmente havia descolado um contrato com a Paramount, Dreamscape foi lançado e a premissa do longa era basicamente a mesma do filme de Craven. Os personagens morriam no sono e na vida real. A Paramount desistiu do projeto de Wes. Estava claro para o cineasta que Chuck Russell e os outros roteiristas roubaram a  sua ideia. Craven nunca perdoou Russell. Inclusive, mesmo sabendo de toda a questão problemática entre os dois diretores, a New Line chamou Chuck para reescrever o roteiro do terceiro filme da franquia A Hora do Pesadelo, o qual havia sido escrito por Craven. Além disso, Chuck também dirigiu o longa. Por causa disso, a relação Craven x New Line ficou estremecida por anos. 
Falando sobre Dreamscape, apesar do bom elenco, o longa é uma cópia muito ruim do trabalho de Craven. É um filme que você esquece com facilidade. E sim, o homem serpente é totalmente inspirado no Freddy. Uma cópia de centavos.





976-EVIL (1988) — Direção: Robert Englund

Robert Englund dirigiu esse filme sobre um garoto que fica com unhas grandes quando é possuído por uma força demoníaca. E qual a ligação do filme com A Hora do Pesadelo? Nenhuma. Nem todo a película que possui um personagem com garras será um rip-off do universo de Freddy.





Asylum (2008) — Direção: David R. Ellis

Um grupo de calouros de uma universidade descobrem que seu dormitório é um antigo hospital psiquiátrico, onde um médico maluco torturava suas vítimas. Eles resolvem explorar a área fechada do prédio e passam a ser atormentados pelo espírito do psiquiatra. Eles sonham acordados com seus maiores traumas e são assassinados pela assombração, a qual é uma espécie de Freddy Krueger da medicina. Ethan Lawrence, o roteirista do longa, parece ser um grande fã da franquia A Hora do Pesadelo, principalmente do quinto filme. Ele reproduz a famosa cena o chuveiro que abre a 5º película. Além disso, copia o plot da personagem Greta (Erika Anderson) na morte de um dos personagens. O roteirista também reproduz o pesadelo de Tracy (Lezlie Deane) em Pesadelo Final: A Morte de Freddy (1991). Mas a cereja do bolo é o destino do monstro do filme. Ele morre como Freddy Krueger no quarto filme. Assim como no longa de 1988, as almas dos personagens mortos pelo médico são libertadas e pairam pelo ar. 
Asylum deve ser o rip-off mais extremo da franquia A Hora do Pesadelo. E o filme não é somente uma cópia do universo de Freddy. A locação do longa lembra muito a do filme Lenda Urbana (1998) e o plot onírico se mistura com o argumento de A Casa da Colina (1999). A cópia é gritante.
Apesar dos pesares, eu achei o longa razoável, mas provavelmente foi o meu lado fan girl da franquia A Hora do Pesadelo falando. 





Boogeyman 2 (2007) — Direção: Jeff Betancourt

Não acho que esse filme tenha qualquer ligação com a franquia A Hora do Pesadelo





Bring Me a Dream (2020) — Direção: Chase Smith

O personagem principal é uma espécie de Sandman. Ele usa um chapéu e uma roupa de cowboy. Provavelmente essa é a suposta ligação do filme com a franquia A Hora do Pesadelo. Além disso, os personagens precisam enfrentar os seus medos. Mas no geral, o filme é terrível. 





Cut (2000) — Direção: Kimble Rendall

Existem duas similaridades entre esse longa  e a franquia A Hora do Pesadelo. A primeira é a questão da metalinguagem. O sétimo filme da saga de  Freddy, New Nightmare (1994), é todo centrado nisso, no filme dentro de um filme. A segunda parte é a questão da maquiagem do assassino. Ele está todo queimado e é parecido com Freddy.




The Sandman (1995) — Direção: J.R Bookwalter

Um autor de livros mora em um parque de trailers. Ele passa a ter visões de uma criatura noturna. Esse monstro, que usa capa e usa uma foice como arma, começa a aparecer nos sonhos de seus vizinhos e eles morrem na vida real. O escritor passa a a ter medo de dormir. O longa explora a mitologia de Sandman usando o plot de A Hora do pesadelo. De modo geral,  The Sandman é um longa super independente e tive muita dificuldade para assisti-lo e, sinceramente, teria sido melhor não tê-lo encontrado. É muito ruim.




Satan's Bed (Batas Impian Ranjang Setan/1986) — Direção: H. Tjut Djalil

Uma família holandesa é assassinada em sua casa na Indonésia. Anos depois, uma mulher divorciada se muda com sua filha e uma sobrinha para a residência. As jovens começam a ser perseguidas enquanto sonham por duas entidades: um homem desfigurado com uma luva com garras gigantes, e uma femme fatale

O longa claramente aborda o passado colonialista indonésio se utilizando da história de Freddy Krueger. A Indonésia foi ocupada por muitos países, como a Holanda. O país europeu foi o último mandatário do país e foi expulso depois de uma guerra sangrenta em 1945. Então, a morte da família holandesa no começo do filme é bastante simbólica. O casal retorna para a casa da família como dois fantasmas que buscam vingança. E é aí que o longa vira uma cópia quase integral do primeiro filme da franquia A Hora do Pesadelo, incluindo a icônica cena da banheira. Eu não vou mentir. Apesar de ser um rip-off bem explícito, acho que o filme é interessante justamente por conseguir utilizar elementos da história de Freddy nessa metáfora do passado violento do país.




Dreamaniac (1986) — Direção: David DeCoteau

Um roqueiro faz um pacto com uma súcubo em troca de sucesso com mulheres e o plano sai do seu controle. O personagem tem alguns sonhos ruins. Mas não é porque um filme seja sobre pesadelos que ele obrigatoriamente seja um link direto com o universo de Freddy. Nesse caso, é claro que não possui nenhum parentesco.




Dream Demon (1988) — Direção: Harley Cokeliss

Dream Demon conta a história de Diana (Jemma Redgrave). Ela irá se casar com um herói da Guerra das Malvinas. Ela se muda antes do casamento para uma nova casa e passa a ter pesadelos horríveis. A situação muda de figura quando ela começa a colocar a vida de outras pessoas em risco enquanto sonha. É um rip-off de A Hora do Pesadelo, mas sem dúvidas é um longa que trilha em uma direção original. É um bom roteiro. É um tanto previsível, mas funciona bem dentro de sua proposta. A película também se destaca pela parte visual.




Khooni Murdaa (1989) —  Direção: Mohan Bhakri

Um homem obsessivo é rejeitado pela mulher que ama. Ele a persegue até uma festa de forma violenta. Os colegas da estudante acabam matando-o. O que o grupo de universitários não podiam contar é que o criminoso voltaria como uma imitação "paraguaia" do Freddy Krueger no mundo dos sonhos. 
Eu vi o filme sem legendas e portando só posso falar da parte visual do filme. Ele reproduz algumas cenas clássicas do primeiro e do terceiro filme. Mas o filme sofre com o baixo orçamento e, o que era pra ser assustador, vira algo totalmente cômico.




Dream a Little Evil (1990) — Direção: Royce Mathew

Esse filme até pode ter "sonho" no nome, mas ele é um rip-off muito mais efetivo de outro longa dos anos 80, Weird Science (1985). 




Lurkers (1988) — Direção: Roberta Findlay

Cathy (Christine Moore) é uma musicista e passa a ver a imagem de uma garotinha loira familiar. Essa visão também a acompanhava na infância. Além dessas aparições, ela passa a ter pesadelos com um momento fatídico: ela testemunhou o assassinato de seu pai quando era criança. Sua madrasta foi a responsável pelo crime. 
Em suma, o filme pode ser considerado um rip-off, mas não por causa dos elementos oníricos. Eu acho que a influência de A Hora do Pesadelo no longa reside mais no lado visual, como a cena da banheira e as crianças pulando corda.




Deadly Dreams — Direção: Kristine Peterson

Um universitário tem sonhos repetitivos com um caçador que usa uma máscara de lobo, o qual matou seus pais no passado. Com o passar do tempo, ele passa a acreditar que a figura onírica também está perseguindo-o na vida real. Ele é influenciado, pois se o assassino efetivamente matá-lo no mundo dos sonhos, ele morrerá na vida real.






Beyond Dream's Door (1990) — Direção: Jay Woelfel

Um jovem universitário começa a ter pesadelos terríveis. Logo, esses sonhos bizarros começam a ganhar forma na vida real. Por mais que o longa seja colocado como um rip-off de A Hora do Pesadelo, a história do longa já havia sido desenvolvida em um curta homônimo lançado em 1983. Ou seja, é uma ideia que já havia sido abordada antes do lançamento do longa dirigido por Wes Craven.





Doom Asylum (1987) — Direção: Richard Friedman

Um advogado sofre um acidente fatal de carro junto de sua esposa. Quando ele é levado para a mesa de autópsia, ele ainda está vivo e completamente desfigurado. O advogado ataca os médicos que faziam o procedimento e, após o incidente, o local do crime, uma espécie de sanatório, é fechado, mas o advogado  monstruoso contínua habitando o lugar, levando terror para aqueles que visitam o hospital.
Assim, a única razão para ele estar nessa lista é o fato que a maquiagem do antagonista lembra um pouco a do Freddy. E mais nada. Além disso, o filme é terrível. 






Ill Always Know What You Did Last Summer (2006) — Direção: Sylvain White

Eu realmente não sei por que esse filme é considerado um rip-off de A Hora do Pesadelo. Na minha opinião, é somente uma bomba atômica. 




Trampa Infernal (1989) — Direção: Pedro Galindo III

Um grupo de jovens vai até uma região remota para caçar um urso que está levando terror para a região. Ao chegar lá, eles é são perseguidos por um veterano mascarado do Vietnã. Ele caça suas vítimas com uma luva com navalhas nos dedos. Sim, o assassino mascarado do filme usa uma luva muito parecida com a do Freddy. 
Esse é o segundo rip-off mexicano de A Hora Do Pesadelo. E o filme, apesar de teoricamente ser uma cópia, é bem legal. O roteiro mescla vários elementos clássicos que estavam sendo produzido no universo dos slashers estadunidenses dos anos 80, acrescentando uma identidade latina ao plot





The Wisher (2002) — Direção: Gavin Wilding

Mary (Liane Balaban) ama filmes de horror. Quando ela começa a ter episódios de sonambulismo e pesadelos. Para ajudá-la, seu pai resolve obriga-la a parar de assistir tantos longas de terror. Desobedecendo a família, ela assiste com os amigos a película "The Wisher". Após a sessão, o monstro do filme começa a persegui-la na vida real.
O antagonista é uma espécie de protetor de árvores e possui uma luva igual a do Freddy, mas as garras são feitas de uma espécie de vidro. De modo geral, The Wisher é um slasher fraquíssimo. Ele faz parte de uma safra de filmes "teen horror" canadenses do começo dos anos 2000. Acho que Ginger Snaps (2000) é a única película interessante desse ciclo. Uma outra coisa que chama a minha atenção é que todos os filmes de horror canadenses dessa época usavam o mesmo filtro.




Popcorn (1991) — Direção: Mark Herrier

Maggie (Jill Schoelen) é uma estudante de cinema que passa a ter pesadelos com um homem misterioso. Ela está participando da organização de um pequeno festival de longas B. Durante a curadoria dos filmes que serão exibidos, ela percebe que o homem dos seus sonhos é o protagonista da película que está assistindo. Boladíssima, ela segue a vida, até que o diretor/ator do longa aparece na mostra de filmes com o propósito de eliminá-la.
O filme é uma grande homenagem aos festivais de cinema que ocorrem nos EUA. E o plot é muito envolvente e interessante. E sim, ele tem vários elementos da franquia A Hora do Pesadelo. Inclusive, uma das atrizes do quinto filme da série de Freddy, Kelly Jo Minter, participa do filme.





Horsehead (2014) — Direção: Romain Basset

Horsehead é um filme visualmente muito bonito e aborda a história de Jessica, uma jovem que começa a ter pesadelos aterrorizantes com um homem que usa uma cabeça de cavalo. Os sonhos começam a se tornar cada vez mais reais e, quando Jessica se machuca no mundo onírico, ela também está ferida no mundo real. Sim, o longa possui algumas semelhanças com o universo de Freddy, mas trilha um caminho original. Acho que ele tem uma vibe mais parecida com A Cela (2000). Ele tem uma pegada mais surreal.





The Initiation (1984) — Direção: Larry Stewart

Mesmo que ele tenha estreado no mesmo ano que o primeiro filme da franquia A Hora do Pesadelo, o longa aborda o caso de uma jovem que tem pesadelos com um homem pegando fogo. A maquiagem do personagem lembra muito a do Freddy. Eu acredito que seja apenas uma coincidência, mas pode ter ocorrido a mesma coisa que houve no caso do Dreamscape. Como o roteiro do Wes Craven estava circulando pelos estúdios, é provável que alguém tenha lido e se "inspirado".







Brainscam (1994) —  Direção: John Flynn

Um adolescente passa a jogar Brainscan, um jogo que usa hipnose para ampliar a experiência do jogador. Em dez minutos, o jovem precisa assassinar uma pessoa. No dia seguinte, o adolescente percebe que o assassinato ocorreu na vida real e o personagem do jogo se materializa em sua casa.
Eu não acho que o filme tenha qualquer ligação com a franquia A Hora do Pesadelo. Só tem uma cena que parece ser uma ligeira cópia de uma parte do Novo pesadelo (1994), mas como são dois filmes que foram lançados no mesmo ano, creio que seja apenas uma coincidência. 







Pledge Night (1988) — Direção: Paul Ziller

Em um trote da fraternidade, um jovem é morto em uma banheira de ácido. Ele volta anos mais tarde para se vingar. E a única semelhança com o longa A Hora do Pesadelo é a aparência do monstro. 




Scared Stiff (1987) — Direção: Richard Friedman

Um casal se muda para uma casa assombrada por um fantasma de um escravagista. Eles começam a ter pesadelos com essa entidade. Ele tem uma ligação estética com o A Hora do Pesadelo.





Dead Space (2016) — Direção: Tao Yong

É um remake de A Hora do Pesadelo (2010).  Só esqueceram de avisar para a New Line Cinema. O diretor Tao Yong usa a mesma música, os mesmos personagens, as mesmas mortes. A única diferença é que o Freddy Krueger chinês é uma espécie de Coringa. 




Don’t Look Under the Bed (1999) — Direção: Kenneth Johnson

É um filme infanto-juvenil da Disney. Ele explora o imaginário do bicho-papão. O monstro aparece de noite e tem unhas gigantes. É levemente inspirado em A Hora do Pesadelo. 





Кешка и Фреди (1992) — Direção: Boris Berzner

É uma série de Belarus. Em um dos episódios, o protagonista infantil encontra Freddy Krueger no mundo dos sonhos. Eu só entendi as falas do Krueger, mas de modo geral achei o episódio fofinho.




Dream Hunter Rem (1985) — Direção: Satoru Kumazaki Shuku Nagao Yasunori Kamii

É um anime japonês. Rem é uma detetive do mundo dos sonhos. Além de ser um desenho muito legal, ele é largamente inspirado no universo de Krueger. Gostei muito!




Hellmaster (1992) — Direção: Douglas Schulze

Um professor universitário produz uma droga capaz de desenvolver habilidades em humanos. Ele usa seus estudantes como cobaias e causa uma grande tragédia. Vinte anos depois, ele retorna para continuar seu império de terror. O filme possui três pontos que podem ligá-lo com a franquia A Hora do Pesadelo: a presença de John Saxon ( que interpreta o pai de Nancy no primeiro e terceiro filme da franquia de Freddy), a estética onírica, e um dos assassinos é parecido com Krueger. De modo geral, o longa é uma das piores coisas que já assisti. O filme tem uma montagem muito truncada e bizarra. 






Filmes não encontrados: 

Dreamwalkers (2000) — Direção:  John Bowker 

Long Dream (2000) — Direção: Akihiro Higuchi

Kaboos (1989) —  Direção: Mohamed Shebl

Hallucinations (1986) — Direção: Mark Polonia, John Polonia e Todd Michael Smith

Stan Helsing (2009) — Direção: Bo Zenga

Splatter (2009) — Direção:  Joe Dante

Fuck the Devil 2: Return of the Fucker (1991) — Direção:  Michael Pollklesener

Demonsoul (1999) — Direção:  Elisar Cabrera

Beyond Bedlam (1998) — Direção: Vadim Jean

Night Terror (1989) — Direção: Michael Weaver, Paul Howard

Slaughterhouse Rock (1987) — Direção: Dimitri Logothetis

The Horror Show (1989) — Direção: James Isaac, David Blyth

Formulário p/ pagina de contato (Não remover)