Série "A Bênção" inicia filmagens em Porto Alegre

janeiro 17, 2019


 
Crédito: Eduardo Rabin

Começaram na capital gaúcha as filmagens da primeira temporada da série de televisão "A Bênção", realização da Coelho VoadorAusgang Anti FilmesAs filmagens prosseguem até a segunda quinzena de março, com mais de 50 diárias de trabalho. Thriller dramático com elementos de ficção científica, traz no elenco João Campos ("A Lei do Amor"), Aldri Anunciação ("Café com Canela"), Priscilla Colombi ("Fora do Ar"), Werner Schünemann ("Tempo de Amar"), Maria Galant ("Mulher do Pai"), Áurea Baptista ("Doce de Mãe"), Rodolfo Ruscheinsky ("Proibida para Maiores"), entre outros. A série tem previsão de estreia para o primeiro semestre de 2020, no Canal Brasil
A criação é de Leo Garcia ("A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro") e Frederico Ruas ("Paralelo 30"). Davi de Oliveira Pinheiro ("Porto dos Mortos") e Emiliano Cunha ("Raia 4") dividem a direção. Além dos criadores, assinam o roteiro Denise MarchiIuli GerbasePedro Galiza e Thiago Wodarski. Na equipe estão Eduardo Rabin (direção de fotografia), Pedro Guindani (produção executiva), Ana Musa (direção de arte), Juliane Senna (maquiagem), Daniel Almeida e Thais Fernandes (montagem), entre outros. O conceito original da série é de Leo GarciaFrederico Ruas Pedro Harres. "A Bênção" conta com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual através da ANCINE e do BRDE.

Crédito: Eduardo Rabin
 A trama de "A Bênção" refere-se ao nome de um medicamento experimental que promete o fim do medo da morte. Seu efeito na vida dos protagonistas é um dos temas centrais da série. "Partimos de uma premissa fantástica para falar sobre a nossa própria humanidade", explica o criador e roteirista Leo Garcia. A história traz o questionamento: e se as pessoas não temessem morrer? “Por mais natural que seja, falar sobre a morte ainda é um tabu. Foram seis meses muito intensos na sala de roteiro, com muitas discussões filosóficas", relembra. Este período rendeu o texto de mais de 400 páginas distribuídos nos oito episódios que compõem a temporada. "Criar uma série que ronda a morte envolve um mergulho difícil dentro de si mesmo. O processo envolveu confrontar os próprios medos mais profundos.", explica o criador Frederico Ruas. Um policial, uma jovem com câncer avançado, os cientistas que criaram "A Benção" estão entre os personagens que circulam no universo da série. "Apesar dos elementos ficcionais, esta é uma série que foi construída com embasamento realista. Abordamos neurociência, química, psiquiatria, etc. Tivemos um trabalho de bastante pesquisa até agora", complementa Ruas.
 
Crédito: Eduardo Rabin
 Dirigido a quatro mãos, o trabalho envolve mais de 40 locações em Porto Alegre e arredores, com uma equipe técnica de mais de 70 profissionais, 85 atores e 300 figurantes. "'A Bênção'" é a chance de realizar uma série muito ambiciosa, com vários personagens e cenários e que traz o diferencial de uma dramaturgia muito forte”, acredita o diretor Davi de Oliveira Pinheiro. "Com um dos melhores elencos que já tive a chance de trabalhar, vamos construir uma obra bastante impactante e que revela muitas verdades sobre o ser humano", promete. "É um desafio dos mais positivos encarar um projeto tão grande com um volume de trabalho bastante importante e, ao mesmo tempo, dividir o olhar com outro diretor", explica o Emiliano Cunha. "Para mim que venho de trabalhos mais autorais, o caminho é encontrar a construção mais narrativa que o suporte e o roteiro televisivo pedem, mas também explorando algumas possibilidades de uma linguagem mais refinada”, complementa. Cada diretor dirige quatro episódios de 52 minutos.
Crédito: Eduardo Rabin

Sobre os criadores

 
Crédito: Eduardo Rabin


 Leo Garcia
Mestre em Roteiro (UPSA – Salamanca, Espanha), escreveu as séries "Sapore D’Itália" (2011) (RBSTV), "Bocheiros" (2014) (Prime Box Brazil) e "Werner e os Mortos" (2017) (Canal Brasil). Destaque para o curta de animação "Ed" (2013), selecionado para mais 100 festivais e 27 prêmios. Em 2014, Leo foi selecionado para o Berlinale Talents. Em 2018, lançou nos cinemas dois longas que escreveu e produziu: a ficção "Em 97 Era Assim" e o documentário "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro", no qual também assina codireção. Leo é o diretor-geral do FRAPA, o maior Festival de Roteiro da América Latina, com seis edições realizadas. Roteirista dos longas "Legalidade" e"Depois de ser Cinza", com previsão para 2019. É criador e roteirista da série "Paralelo 30" (Prime Box Brazil), também inédita. Leo Garcia é sócio da Coelho Voador.

Frederico Ruas
Especializou-se em roteiro, direção e montagem no curso de realização audiovisual da Unisinos. Em 2014 lançou "Terráqueos - Vestígios de uma Era Digital", seu primeiro longa, melhor montagem no 2º Noida International Film Festival (Índia), Gold Awards de Revelação em edição de documentário e melhor edição no International Movie Awards (Indonésia). Montou também os longas "O Guri" (2011), "Em 97 Era Assim" (2017) e "Grupo de Bagé" (2018). É cocriador das séries em desenvolvimento "Lei de Gérson", "ClímaXXX". É criador e diretor da série "Paralelo 30" (Prime Box Brazil). Sócio da Anti Filmes.

Sobre os diretores

Crédito: Isidoro Guggiana

Davi de Oliveira Pinheiro
Produtor, roteirista e diretor de "Porto dos Mortos" (2011), road movie de fantasia selecionado para mais de 80 festivais, incluindo o Sitges Film Festival, e vencedor de 18 prêmios internacionais, com licenças para o Netflix e o Hulu. Seu mais recente curta-metragem, "Another Empty Space" (2015), foi exibido em mais de 60 festivais pelo mundo e seis prêmios. Além disso, Davi é o produtor das séries documentais"Fronteiras do Pensamento" e "Ensaios Visuais", do curta-metragem "Sob Águas Claras e Inocentes" (2016) e dos longa-metragens"Desvios" (2016) e "Raia 4" (em pós-produção). Em 2014, Davi foi selecionado para programa Berlinale Talents. Seu projeto atual, o longa-metragem "Grito", encontra-se em desenvolvimento e foi selecionado para o Brasil CineMundi, o Bolivia Lab e o LABEX, em Buenos Aires. Sócio da produtora Ausgang.

Emiliano Cunha
Realizador dos premiados curtas "O Cão" (2011), "Lobos" (2012), "Tomou Café e Esperou" (2013) e do recente "Sob Águas Claras e Inocentes" (2016). Pelo último recebeu os prêmios de melhor direção, crítica e menção honrosa ao elenco no Festival de Cinema de Gramado. A produção também levou melhor fotografia e montagem no Curta Santos, fotografia no Festival ADF e foi selecionado para o evento espanhol Zinebi. Emiliano dirigiu a série de televisão "Horizonte B" (2016), atualmente no catálogo do Netflix. É professor de cinema na UniRitter e na Escola Fluxo. Atualmente, finaliza o curta-metragem "Endotermia" e o longa-metragem "Raia 4" – este último, sua estreia como diretor de longas. É diretor, roteirista, produtor e sócio na Ausgang.


                                                        Fotos de bastidores

 

Crédito: Isidoro Guggiana

Crédito: Isidoro Guggiana

 
Crédito: Eduardo Rabin



 

  • Share:

You Might Also Like

0 Comments