As Mulheres Fantásticas do Horror



No longínquo ano de 2007, eu tinha um passatempo favorito. Eu gostava de anotar os nomes das atrizes dos filmes de horror que eu assistia. E talvez por isso tenha me interessado por representação da mulher no terror naquele período. Eu retomei essa coleção em 2015, depois de alguns anos de total desinteresse pelo gênero, causados por uma série de desventuras em série — afinal de contas o meio do terror é uma filial de Chernobyl em alguns momentos. Enfim, eu atingi esse ano a marca de mais de cinco mil registros de atrizes, diretoras, produtoras, entre outras profissionais, que trabalham ou já trabalharam com o cinema de horror. E pensei: O que eu vou fazer com essas informações? Vou deixar dentro do meu computador?A lei do menor esforço é bastante tentadora, principalmente quando ficar na frente do laptop por mais de quinze minutos é um desafio.

Nesse ano de 2019 eu queria muito ter começado um projeto dentro do meu blog, chamado Mulheres Fantásticas do Horror, para poder compartilhar essas informações que eu tenho. Eu até consegui escrever três textos, mas devido aos meus problemas oftalmológicos, acabei dando prioridade para o Final Chica, que é o levantamento que eu estou fazendo sobre o cinema latino-americano. E, é claro, para os boletos.

Então, agora em novembro, eu tive mais uma piora no meu problema de saúde. E tive vários dias para pensar na vida, na urgência das coisas. Em como a gente vai procrastinando e deixando de fazer coisas importantes. E de repente talvez você nem consiga mais fazer aquilo que desejava. E resolvi que, mesmo desafiando a fotopsia, a fotofobia, e todos os “presentes de grego” que estou enfrentando esse ano, nos momentos em que eu estiver bem, eu vou tocar esse projetinho, chamado Mulheres Fantásticas do Horror

O Mulheres Fantásticas do Horror é um catálogo de atrizes, diretoras, roteiristas, escritoras e outras profissionais envolvidas com o cinema de horror, séries de televisão, e literatura. Para isso, eu criei uma página no Tumblr, Facebook e Twitter. As primeiras personagens já possuem textos no Final Girl. Com o passar do tempo, se eu conseguir, vou escrever textos sobre algumas delas no blog também. Mas isso é algo que depende muito de como as coisas fiquem no futuro. Eu acredito que mesmo que isso seja desenvolvido de forma simples, é algo importante. Pois muitas dessas figuras que eu vou catalogar tiveram suas histórias simplesmente escondidas. Muitas delas tiveram seus feitos e contribuições para a sétima arte simplesmente atribuídos para outras pessoas. O motivo? Elas eram mulheres! 

E existem outras questões. Dentro das telas, temos essa relação complexa das atrizes com o horror. Temos as donzelas em perigo, as rainhas do grito, as garotas sobreviventes, as heroínas e, meninas hipersexualizadas que são eliminadas rapidamente, e tantas outras construções. E todas elas são importantes da mesma maneira. E mereciam ter o mesmo espaço e a mesma atenção. Nós falamos muito da heroína, da final girl, das atrizes famosas. Mas eu quero retirar todas as mulheres desse esquecimento. Elas existem. Elas existiram.

Essas personagens tiveram que enfrentar tantas coisas em nome de sua arte. Acho que é meu dever, como mulher, lembrar do trabalho dessas pessoas tão incríveis. No momento é só o que eu posso fazer por elas. É apenas uma pequena retribuição. Afinal de contas, elas nos ofereceram tantos momentos bacanas nas telonas, na televisão e, na literatura. 


MULHERES FANTÁSTICAS DO HORROR